Retrospectiva 2020 | "São histórias que a história qualquer dia contará"

2020 chega ao fim nos deixando uma grande lição sobre a necessidade urgente de justiça, de solidariedade, de saúde, de garantia de direitos e respeito à democracia.  A ABJD agradece a todas e todos associadas (os), companheiras (as) e entidades parceiras que estiveram juntos nas trincheiras da resistência e da sobrevivência, se solidariza profundamente com as vítimas da pandemia e familiares, e deseja que em 2021 tenhamos ainda mais força e coragem para seguirmos nas importantes batalhas por um mundo mais justo. Vamos à luta! Feliz Ano Novo!

AO VIVO | Soraia Mendes debaterá STF e Estado Laico com representantes religiosos

 


Na próxima terça-feira, 3, a anticandidata da sociedade civil ao Supremo Tribunal Federal (STF), Soraia Mendes, se reúne com importantes representantes religiosos para debater o STF e o Estado Laico. O encontro será a partir de 18h e será transmitido pelo Facebook e YouTube da ABJD e também pelas redes das entidades parceiras.

Participam Mayrinkellison Wanderley, advogado tesoureiro do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) e membro da Aliança de Batistas do Brasil, a pastora Luterana Lusmarina Garcia, teóloga e pesquisadora em Direito, e Luiz Longuini, pastor Presbiteriano (IPB), professor universitário e Doutor em Ciências Sociais e Religião. A mediação será de Tania Maria de Oliveira, da Executiva Nacional da ABJD. 

Soraia Mendes é a indicação oficial da campanha Por um STF laico e independente, encabeçada pelas entidades jurídicas Coletivo por um Ministério Público Transformador (Coletivo Transforma MP), Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), Associação de Juízes para a Democracia (AJD), Associação de Advogados e Advogadas pela Democracia, Justiça e Cidadania (ADJC), Coletivo Defensoras e Defensores Públicos pela Democracia, Instituto de Pesquisa e Estudos Avançados da Magistratura e do Ministério Público do Trabalho (IPEATRA) e o Movimento Policiais Antifascismo.

Em entrevista, a jurista já afirmou que a sua candidatura é uma resposta a "um projeto de 'ocupação' do Supremo Tribunal Federal, flagrantemente contrário às exigências constitucionais". Nesse sentido, "cabe às forças democráticas o papel de fazer emergir da esfera pública alternativas legítimas".

"Nossa candidatura é isso. Uma alternativa viável pelo notório saber, mas, acima de tudo, por expressar o que se exige de alguém que tenha legitimidade para tomar assento em uma Corte Suprema de um Estado Democrático de Direito", defende Soraia.