Retrospectiva 2020 | "São histórias que a história qualquer dia contará"

2020 chega ao fim nos deixando uma grande lição sobre a necessidade urgente de justiça, de solidariedade, de saúde, de garantia de direitos e respeito à democracia.  A ABJD agradece a todas e todos associadas (os), companheiras (as) e entidades parceiras que estiveram juntos nas trincheiras da resistência e da sobrevivência, se solidariza profundamente com as vítimas da pandemia e familiares, e deseja que em 2021 tenhamos ainda mais força e coragem para seguirmos nas importantes batalhas por um mundo mais justo. Vamos à luta! Feliz Ano Novo!

Bolsonaro Genocida | Com projeções em Curitiba, ABJD-PR denuncia crimes do presidente na pandemia

                                              

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) está realizando iniciativas que visam mostrar para a população porque Jair Bolsonaro pode ser nominado de genocida. Como parte das ações, o núcleo da Associação no Paraná (ABJD-PR) realizou uma projeção #ForaBolsonaro no dia 10 de maio, em um prédio na região do Círculo Militar, em Curitiba.

"Jair Bolsonaro tem usado a Lei de Segurança Nacional (LSN) para tentar perseguir desafetos políticos, especialmente pelo uso do termo "genocida". As projeções explicam à população a correção da expressão e apontam que se o Brasil possui hoje mais de 400 mil mortes por Covid-19, o responsável é o presidente, especialmente no ano de 2021," explica o jurista Nuredin Allan, da Executiva Nacional da ABJD.

De acordo com ele, a recusa na compra de imunizantes fez com que uma pequena fração da população fosse vacinada. "Milhares de pessoas morrem por dia, vítimas das consequências da Covid-19. Milhares de pessoas morrem todos os dias por uma doença para a qual existe vacina e que o presidente Jair Bolsonaro se recusou a comprar em número suficiente para imunizar a população e salvar vidas", conclui.

Veja o vídeo: