Com dados da CPI da Covid, ABJD faz nova denúncia contra Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional

Foto: Marcos Corrêa-PR Acesse o documento em português e inglês Com base em fatos novos levantados pela CPI da Covid, a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) protocolou nesta terça-feira, 09, no Tribunal Penal Internacional (TPI), um adendo onde pede que a Corte dê seguimento à representação realizada em abril de 2020. A intenção é que seja investigada a denúncia feita pela entidade contra Jair Bolsonaro por cometimento de crimes humanitários contra a população brasileira ao assumir a opção de imunidade de rebanho, com boicote ao programa de vacinação e negação das políticas de cuidados sanitários .  De acordo com os juristas, a sistematização de dados produzidos pela CPI da Covid e por vários pesquisadores revelam o empenho e a eficiência da atuação do presidente e da União em prol da ampla disseminação do vírus no território nacional. “As normas produzidas, decretos e vetos a leis votadas no Congresso, os discursos e atos de Bolsonaro foram determinantes para

ABJD é responsável por pedido de impeachment feito pela Frente Ampla Cristã contra Bolsonaro


 Foto: Divulgação ABJD

A Associação Brasileira de Juristas Pela Democracia - ABJD é responsável pela peça jurídica do pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro protocolado na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (26) pela Frente Ampla Cristã. 

A interrupção imediata do mandato de Bolsonaro tem o apoio do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, da Comissão Nacional Justiça e Paz da CNBB, do bispado da Igreja Anglicana e de lideranças de diversas igrejas evangélicas e católica. É um pedido específico feito por lideranças das igrejas, e se difere de outros pedidos de impeachment, como o articulado por partidos de esquerda em Brasília. 

O documento concentra-se na denúncia dos crimes de responsabilidade referentes à área de saúde, o manejo criminoso das políticas sanitárias durante a pandemia, o não acesso à vacina, o desprezo pela vida dos cidadãos e cidadãs brasileiras, usurpando-lhes o direito à saúde, e infringindo assim diversos artigos da Constituição Federal, dentre os quais o art. 196 e seguintes. 

Vamos à luta! O Brasil precisa respirar e ser vacinado. 

Leia aqui o documento na íntegra