Com dados da CPI da Covid, ABJD faz nova denúncia contra Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional

Foto: Marcos Corrêa-PR Acesse o documento em português e inglês Com base em fatos novos levantados pela CPI da Covid, a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) protocolou nesta terça-feira, 09, no Tribunal Penal Internacional (TPI), um adendo onde pede que a Corte dê seguimento à representação realizada em abril de 2020. A intenção é que seja investigada a denúncia feita pela entidade contra Jair Bolsonaro por cometimento de crimes humanitários contra a população brasileira ao assumir a opção de imunidade de rebanho, com boicote ao programa de vacinação e negação das políticas de cuidados sanitários .  De acordo com os juristas, a sistematização de dados produzidos pela CPI da Covid e por vários pesquisadores revelam o empenho e a eficiência da atuação do presidente e da União em prol da ampla disseminação do vírus no território nacional. “As normas produzidas, decretos e vetos a leis votadas no Congresso, os discursos e atos de Bolsonaro foram determinantes para

Nota | ABJD repudia violência contra João Alberto Silveira Freitas

Neste dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, ao mesmo tempo em que reafirma seu compromisso no combate a todas as formas de racismo, a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia manifesta sua profunda indignação e repulsa ao ato de violência praticado na noite de ontem contra João Alberto Silveira Freitas, homem negro de 40 anos, espancado até a morte por seguranças e um cliente, policial temporário, no supermercado Carrefour, na cidade de Porto Alegre/RS.

Sabemos que a luta contra o racismo no Brasil tornou-se mais difícil nos últimos anos, com o aumento da exclusão e do preconceito na sociedade, associadas às políticas negacionistas do governo Bolsonaro. O fato faz aumentar a responsabilidade de toda a sociedade e das entidades que se organizam em defesa da democracia e dos direitos humanos.

Repudiamos toda forma de violência e reconhecemos o racismo como racionalidade estrutural de nossa sociedade. A violência contra a população negra deve ser evidenciada para que não pareça excepcional, deslocada do todo. Justiça por João Alberto é justiça social e racial.

Vidas negras importam! 

 

Chage Carlos Latuff para Brasil de Fato