Retrospectiva 2020 | "São histórias que a história qualquer dia contará"

2020 chega ao fim nos deixando uma grande lição sobre a necessidade urgente de justiça, de solidariedade, de saúde, de garantia de direitos e respeito à democracia.  A ABJD agradece a todas e todos associadas (os), companheiras (as) e entidades parceiras que estiveram juntos nas trincheiras da resistência e da sobrevivência, se solidariza profundamente com as vítimas da pandemia e familiares, e deseja que em 2021 tenhamos ainda mais força e coragem para seguirmos nas importantes batalhas por um mundo mais justo. Vamos à luta! Feliz Ano Novo!

ABJD se une a mais de 400 entidades e partidos e pede impeachment de Bolsonaro

© REUTERS / Adriano Machado


Em um momento histórico, mais de 400 entidades e movimentos sociais, entre eles a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), além dos partidos políticos PT, PCdoB, PSOL, PCB, PCO, PSTU e UP, entregaram nesta quinta-feira (21), o pedido coletivo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro à Câmara dos Deputados.

As organizações, juristas, partidos e personalidades da vida nacional pedem a abertura imediata do processo contra Bolsonaro para afastá-lo do exercício do cargo máximo da República. É o primeiro pedido de impeachment no qual partidos se juntam — outros foram entregues, mas por iniciativas individuais de parlamentares.

O presidente é acusado de cometer crimes contra o livre exercício dos poderes Legislativo e Judiciário e dos poderes constitucionais dos Estados; o livre exercício dos direitos políticos, individuais e sociais; contra o mandamento constitucional da impessoalidade no exercício da administração pública ao utilizar os poderes inerentes ao cargo com o propósito reconhecido de obtenção de ganhos de natureza pessoal e crime de responsabilidade contra a probidade na administração pública.

Além de atentar contra a saúde pública e por em risco a vida do povo brasileiro, por sua conduta irresponsável à frente do enfrentamento da Covid-19, que já levou à morte de quase 19 mil brasileiros e infectou pelo menos 291.579 pessoas no país. A omissão do presidente da República, desobedecendo as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para adoção de medidas de distanciamento social, e estimulando atos e aglomerações, estão agravando o quadro da pandemia no país.

Com informações do site https://pt.org.br/