ABJD denuncia Bolsonaro por crime contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional

Presidente estimula o contágio e coloca a vida de milhares de pessoas em risco na pandemia A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) protocolou nesta quinta-feira, (2/4) uma representação (Leia a íntegra em português e inglês) no TPI (Tribunal Penal Internacional) contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, pela prática de crime contra a humanidade que vitima a população brasileira diante da pandemia de coronavírus.

Acesse o texto de divulgação em inglês e espanhol.
De acordo com a entidade, o Brasil possui, no atual momento, um chefe de governo e de Estado cujas atitudes são total e absolutamente irresponsáveis. Por isso, solicitam ao TPI que instaure procedimento para averiguar a conduta do presidente e condene Bolsonaro pelo crime contra a humanidade por expor a vida de cidadãos brasileiros, com ações concretas que estimulam o contágio e a proliferação do vírus, aplicando a pena cabível.

“Por ação ou omissão, Bolsonaro coloca a vida da população em risco, come…

AO VIVO | ABJD debate os crimes de Bolsonaro e Moro, nesta segunda, às 18h



Em mais um dos sucessivos episódios de escândalos do governo Bolsonaro, a demissão do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, ocorrida na sexta-feira (24), a pedido, revelou uma série de crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo próprio agora ex-ministro.

Para explicar quais as violações foram cometidas, dimensionar a gravidade, ajudar a entender e explicitar quais podem e deveriam ser as consequências desse novo ataque ao Estado Democrático de Direito, a ABJD transmite ao vivo o debate com importantes juristas.

O evento será nesta segunda, (27), às 18h, pelo Facebook da Associação: ABJDBR

Participam o professor de Direito Constitucional Pedro Serrano (PUC/SP/ABJD), a desembargadora aposentada Kenarik Boujikian ( ABJD/AJD) e a advogada criminal Clara Masiero (IBCcrim). A mediação será de Tânia Maria Oliveira, integrante da Executiva Nacional da ABJD.

A entidade reafirma que os escândalos representam a disputa de egos e por poder. As únicas vítimas de verdade nesse episódio são a democracia e a sociedade.