ABJD denuncia Bolsonaro por crime contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional

Presidente estimula o contágio e coloca a vida de milhares de pessoas em risco na pandemia A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) protocolou nesta quinta-feira, (2/4) uma representação (Leia a íntegra em português e inglês) no TPI (Tribunal Penal Internacional) contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, pela prática de crime contra a humanidade que vitima a população brasileira diante da pandemia de coronavírus.

Acesse o texto de divulgação em inglês e espanhol.
De acordo com a entidade, o Brasil possui, no atual momento, um chefe de governo e de Estado cujas atitudes são total e absolutamente irresponsáveis. Por isso, solicitam ao TPI que instaure procedimento para averiguar a conduta do presidente e condene Bolsonaro pelo crime contra a humanidade por expor a vida de cidadãos brasileiros, com ações concretas que estimulam o contágio e a proliferação do vírus, aplicando a pena cabível.

“Por ação ou omissão, Bolsonaro coloca a vida da população em risco, come…

Em livro, filósofo português Diogo Sardinha reverencia e agradece ABJD


Diogo Sardinha participou do II Seminário Internacional da ABJD, em maio de 2019

O novo livro do filósofo português e pesquisador da Universidade de Lisboa, Diogo Sardinha, "A tirania dos poderes coniventes: Brasil na conjuntura", é uma grande contribuição para se compreender o cenário atual da política brasileira, sobretudo a partir do período 2013-2014, momento de profundas transformações no país.

Na obra, Sardinha conta que ter participado do II Seminário Internacional da ABJD, que ocorreu em maio de 2019, foi decisivo para a elaboração do livro, pois a estrutura da argumentação segue a linha adotada durante o evento da entidade. "Em nossos dias o mundo olha, atônito, para o Brasil", diz.

"Ainda profundamente sensibilizado pelo convite da Associação, reitero minha firme solidariedade com suas causas e venero a coragem com a qual seus membros se batem no presente enquanto pessoas livres e conscientes, como a esperança que com se engajam na preparação de futuro melhor", reforça na obra.