ABJD lança campanha #MoroMente para explicar os crimes cometidos pelo ex-juiz na Lava Jato

Ato será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP 
Preocupada com o discurso de Sergio Moro de relativização da legalidade e de normalização de desvios, a ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) lança nesta quinta-feira (01/08) a campanha #MoroMente para mostrar à população quais foram as violações de direitos cometidas pelo ex-juiz, e apontar as mentiras que ele conta para justificar sua atuação criminosa durante a Lava Jato.

A ação contará com a participação de juristas que irão explicar como os envolvidos na operação Lava Jato atropelaram leis e corromperam a Constituição.

Nesta abertura, o juiz de Direito da Vara de Execuções Penais do Amazonas, Luís Carlos Valois, esclarece porque Moro está mentindo quando diz que é normal o contato regular e de tanta influência com representantes do Ministério Público (MP) no curso de um processo. Assista.

Um ato público será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP, no Largo do São Fra…

Em livro, filósofo português Diogo Sardinha reverencia e agradece ABJD


Diogo Sardinha participou do II Seminário Internacional da ABJD, em maio de 2019

O novo livro do filósofo português e pesquisador da Universidade de Lisboa, Diogo Sardinha, "A tirania dos poderes coniventes: Brasil na conjuntura", é uma grande contribuição para se compreender o cenário atual da política brasileira, sobretudo a partir do período 2013-2014, momento de profundas transformações no país.

Na obra, Sardinha conta que ter participado do II Seminário Internacional da ABJD, que ocorreu em maio de 2019, foi decisivo para a elaboração do livro, pois a estrutura da argumentação segue a linha adotada durante o evento da entidade. "Em nossos dias o mundo olha, atônito, para o Brasil", diz.

"Ainda profundamente sensibilizado pelo convite da Associação, reitero minha firme solidariedade com suas causas e venero a coragem com a qual seus membros se batem no presente enquanto pessoas livres e conscientes, como a esperança que com se engajam na preparação de futuro melhor", reforça na obra.