ABJD lança campanha #MoroMente para explicar os crimes cometidos pelo ex-juiz na Lava Jato

Ato será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP 
Preocupada com o discurso de Sergio Moro de relativização da legalidade e de normalização de desvios, a ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) lança nesta quinta-feira (01/08) a campanha #MoroMente para mostrar à população quais foram as violações de direitos cometidas pelo ex-juiz, e apontar as mentiras que ele conta para justificar sua atuação criminosa durante a Lava Jato.

A ação contará com a participação de juristas que irão explicar como os envolvidos na operação Lava Jato atropelaram leis e corromperam a Constituição.

Nesta abertura, o juiz de Direito da Vara de Execuções Penais do Amazonas, Luís Carlos Valois, esclarece porque Moro está mentindo quando diz que é normal o contato regular e de tanta influência com representantes do Ministério Público (MP) no curso de um processo. Assista.

Um ato público será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP, no Largo do São Fra…

NOTA | REPÚDIO ÀS PRISÕES ARBITRÁRIAS NA OCUPAÇÃO DA 905 SUL EM PALMAS/TO





O Núcleo Tocantins da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD-TO) vem a público repudiar a truculenta intervenção policial e detenção de cinco militantes e um advogado que ocorreu na tarde deste domingo, 15/9, na ocupação da Quadra 905 Sul, em Palmas.

A arbitrariedade das prisões sob alegação de desacato e desobediência como narrativa criminalizatória, pois tais condutas não ocorreram, evidenciam o Estado de Exceção da atual conjuntura brasileira, bem como, caracterizam mais uma ação de criminalização dos movimentos sociais e dos defensores e defensoras de direitos humanos no Estado do Tocantins.

Dentre os detidos, encontrava-se o membro da ABJD, estudante de direito da UFT e diretor nacional da UNE, Guilherme Barbosa, que em momento algum ofereceu resistência à prisão e ainda assim foi conduzido de maneira violenta pela polícia militar.

Igualmente, o Núcleo da ABJD-TO repudia a violação das prerrogativas do advogado Lucas Barbosa, que em pleno exercício da profissão, foi detido por sua intervenção pertinente e indispensável diante da postura truculenta dos agentes policiais.

A ABJD-TO compromete-se com a defesa irrestrita do Estado Democrático de Direito, se coloca ao lado dos movimentos sociais e do povo na luta pela defesa dos direitos fundamentais estabelecidos na Constituição Federal.