ABJD lança campanha #MoroMente para explicar os crimes cometidos pelo ex-juiz na Lava Jato

Ato será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP 
Preocupada com o discurso de Sergio Moro de relativização da legalidade e de normalização de desvios, a ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) lança nesta quinta-feira (01/08) a campanha #MoroMente para mostrar à população quais foram as violações de direitos cometidas pelo ex-juiz, e apontar as mentiras que ele conta para justificar sua atuação criminosa durante a Lava Jato.

A ação contará com a participação de juristas que irão explicar como os envolvidos na operação Lava Jato atropelaram leis e corromperam a Constituição.

Nesta abertura, o juiz de Direito da Vara de Execuções Penais do Amazonas, Luís Carlos Valois, esclarece porque Moro está mentindo quando diz que é normal o contato regular e de tanta influência com representantes do Ministério Público (MP) no curso de um processo. Assista.

Um ato público será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP, no Largo do São Fra…

Com participação da ABJD, ato defenderá a Soberania Nacional e Popular em Brasília



A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) é uma das entidades que estará no Ato e Seminário pela Soberania Nacional e Popular que acontece no dia 4 de setembro, na Câmara dos Deputados, em Brasília.


Impulsionado pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, o evento terá como objetivo unir organizações em caráter de urgência para debater o projeto de entrega, venda e privatização das riquezas que pertencem ao povo brasileiro, assim como a destruição de direitos historicamente conquistados, a exemplo da educação, da previdência, dos direitos trabalhistas e da saúde.

A ABJD se soma a todos os atores sociais que compreendem que o Brasil deve ser patrimônio dos brasileiros. “Não cabe a um governo, eleito para um mandato de quatro anos, desnacionalizar e desestruturar políticas e empresas públicas construídas ao longo de décadas por cidadãos e cidadãs brasileiras como vem acontecendo com a Amazônia, o Pré-Sal, a Base de Alcântara, a Petrobras, os Bancos Públicos, o SUS, a Educação Pública, a Ciência e a Tecnologia”, afirma a jurista da ABJD Marcelise Azevedo, que integra o grupo que elabora o Manifesto em Defesa da Soberania Nacional.

Para os dois dias estão previstos os debates Desenvolvimento Econômico e Soberania Nacional; Privatizações: Bancos, Correios, Previdência, Eletrobrás e Petrobrás; Ambiental: Amazônia, Biodiversidade, Mineração e Água; e Ciência Tecnologia e Educação.

O evento será no Auditório Nereu Ramos e é aberto a todos os interessados.

Confira abaixo a programação completa: