Retrospectiva 2020 | "São histórias que a história qualquer dia contará"

2020 chega ao fim nos deixando uma grande lição sobre a necessidade urgente de justiça, de solidariedade, de saúde, de garantia de direitos e respeito à democracia.  A ABJD agradece a todas e todos associadas (os), companheiras (as) e entidades parceiras que estiveram juntos nas trincheiras da resistência e da sobrevivência, se solidariza profundamente com as vítimas da pandemia e familiares, e deseja que em 2021 tenhamos ainda mais força e coragem para seguirmos nas importantes batalhas por um mundo mais justo. Vamos à luta! Feliz Ano Novo!

Juristas baianos e servidores do Judiciário defendem que OAB apoie o impeachment de Bolsonaro

Integrantes do Núcleo Bahia da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) e integrantes do Comitê Fora Bolsonaro de Trabalhadoras/es do Judiciário entregaram, nesta quarta-feira (14), ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Bahia (OAB-BA), Fabrício Castro, um documento que pleiteia da Entidade a posição favorável ao Impeachment de Bolsonaro e que, em âmbito nacional, defenda essa posição. O encontro, que contou com a participação de Denise Carneiro, Sara Mercês, Marília Lomanto, Thiago Campos, Akhaenaton Argolo e Willadesmon Silva, foi realizado no escritório de Castro, em Salvador.

O Conselho Federal da Ordem se reunirá no próximo dia 20 para decidir sobre o posicionamento que será adotado e a Seccional baiana se reunirá hoje, dia 15. Ambas as transmissões serão transmitidas pelos Canais do YouTube das Entidades.

A carta entregue ao presidente da OAB-BA é uma síntese do super pedido de impeachment, protocolado no início deste mês, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O documento de quatro páginas, assinado pelos integrantes das organizações, lembra do papel histórico da Ordem no enfrentamento à Ditadura, ressalta a importância da garantia dos direitos e lista 21 motivos que justificam a necessidade do afastamento imediato de Bolsonaro.

Dentre as razões elencadas estão a desastrosa gestão do País na maior tragédia sanitária da atualidade, com um saldo de mais de 530 mil mortos, os constantes ataques à democracia e às instituições, a violação de direitos constitucionais, os diversos crimes de responsabilidade praticados pelo presidente, dentre outras. “Diante de tantas evidências do cometimento de crimes cometidos pelo presidente da República, outra solução não se espera da OAB Nacional senão a de, alinhada à sua história em prol da democracia, somar-se às demais organizações e requerer o impedimento do chefe do Executivo Nacional”, diz o documento.