Retrospectiva 2020 | "São histórias que a história qualquer dia contará"

2020 chega ao fim nos deixando uma grande lição sobre a necessidade urgente de justiça, de solidariedade, de saúde, de garantia de direitos e respeito à democracia.  A ABJD agradece a todas e todos associadas (os), companheiras (as) e entidades parceiras que estiveram juntos nas trincheiras da resistência e da sobrevivência, se solidariza profundamente com as vítimas da pandemia e familiares, e deseja que em 2021 tenhamos ainda mais força e coragem para seguirmos nas importantes batalhas por um mundo mais justo. Vamos à luta! Feliz Ano Novo!

Inscrições abertas para o debate sobre as "Implicações Institucionais da revisão do PNDH3" que acontece neste sábado, 8


Inscreva-se, junte-se à ABJD nos debates temáticos como estratégias de resistência.

https://forms.gle/4WCDWy3T1widF9hW7


A luta por direitos humanos no regime democrático tem sido constante e realizada por diversos movimentos sociais e entidades da sociedade civil. O PNDH-3 de 2009 foi uma importante conquista civilizatória no Brasil, e representa o compromisso do Estado com pautas de direitos humanos. No entanto, esse acúmulo social e institucional está ameaçado pelo atual governo, que pode realizar um retrocesso sem precedentes no período pós-1988.

Para refletir sobre esse processo de possível alteração do PNDH e suas implicações institucionais, a ABJD realizará mais um encontro no seu ciclo de debates neste sábado, 8, às 9h,  que contará com a participação de Mari Silva Maia, advogada, professora do curso de direito da UNDB, integrante da ABJD/núcleo maranhão e de Paulo César Carbonari, Doutor em filosofia (Unisinos), membro da coordenação nacional do MNDH Brasil.