Retrospectiva 2020 | "São histórias que a história qualquer dia contará"

2020 chega ao fim nos deixando uma grande lição sobre a necessidade urgente de justiça, de solidariedade, de saúde, de garantia de direitos e respeito à democracia.  A ABJD agradece a todas e todos associadas (os), companheiras (as) e entidades parceiras que estiveram juntos nas trincheiras da resistência e da sobrevivência, se solidariza profundamente com as vítimas da pandemia e familiares, e deseja que em 2021 tenhamos ainda mais força e coragem para seguirmos nas importantes batalhas por um mundo mais justo. Vamos à luta! Feliz Ano Novo!

ABJD realiza o III Seminário Internacional nos dias 28, 29 e 30 de maio, em Salvador



A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) realiza nos dias 28, 29 e 30 de maio de 2020 o III Seminário Internacional e a Assembleia da entidade. O evento será em Salvador - BA, com o tema "Democracia em Crise e o Sistema de Justiça na América Latina".

"O Seminário tem demonstrado vitalidade metodológica para dialogar com as forças sociais, políticas e jurídicas com expectativa de traduzir os desafios e construir um novo modo de pensar e fazer uma conjuntura social de respeito às conquistas civilizatórias. Essa terceira edição dá seguimento aos Seminários anteriores, todos alcançando as expectativas de se instituir um fórum de debates e ressignificação das lutas jurídicas", explica Marilia Lomanto Veloso, advogada baiana e integrante da Executiva Nacional da ABJD.

Sobre o tema definido para esse ano, Marilia contou que a escolha é afinada com os objetivos da ABJD a partir de uma discussão coletiva que contempla a pluralidade e a diversidade características da entidade. "O momento de definição do mote do Seminário se torna um fato com dimensão política, um indicativo de construir um tema que contemple valores e que signifique a interlocução da Associação com um espaço e um tempo que possibilitem conhecer, dialogar e transformar realidades conjunturais. Um Seminário deve contemplar o que o coletivo quer expressar e quais as respostas que imagina ouvir dos protagonistas dos debates", detalha.

Nesse sentido, a advogada aponta que construir um espaço que paute as instabilidades conjunturais que permeiam o mundo e, com ele, a América Latina, imprime ao Seminário a natureza de um lugar de desafios e perspectivas. "Incluir narrativas da conjuntura do continente latino-americano sintoniza com a compreensão do projeto político estruturalmente reconfigurado para experiências de conflituosidades que escancaram o belicismo histórico dos povos dominantes, sempre ávidos de poder e dispostos a construir crises e com elas, consolidar formas novas de mandar, centradas em metodologias virtuais e de negação do outro como sujeito em luta por seu modo de ver e interpretar o mundo", ressalta.

Para ela, a América Latina é um laboratório de práticas sociais e de ressignificação de direitos humanos. "O continente representa a recomposição de um repertório que o velho mundo negociou com a contemporaneidade e a América Latina reconstrói, como um legado histórico para as gerações futuras".

Finalizando, a integrante da ABJD, que faz parte da organização do evento internacional, lembra que a grande rebeldia é a capacidade do povo da América Latina se unir em torno de um projeto de nação que intensifique e garanta os direitos dos povos latino-americanos. "O Seminário pode não garantir, mas provoca os debates sobre os desafios e as perspectivas de nosso povo em torno da Democracia e do Sistema de Justiça", conclui.

Serviço
III Seminário Internacional e Assembleia da ABJD
Data: 28, 29 e 30 de maio
Local: Espaço Cultural Raul Chaves
Faculdade de Direito da UFBA
R. da Paz, s/n - Graça
Salvador - BA