ABJD lança campanha #MoroMente para explicar os crimes cometidos pelo ex-juiz na Lava Jato

Ato será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP 
Preocupada com o discurso de Sergio Moro de relativização da legalidade e de normalização de desvios, a ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) lança nesta quinta-feira (01/08) a campanha #MoroMente para mostrar à população quais foram as violações de direitos cometidas pelo ex-juiz, e apontar as mentiras que ele conta para justificar sua atuação criminosa durante a Lava Jato.

A ação contará com a participação de juristas que irão explicar como os envolvidos na operação Lava Jato atropelaram leis e corromperam a Constituição.

Nesta abertura, o juiz de Direito da Vara de Execuções Penais do Amazonas, Luís Carlos Valois, esclarece porque Moro está mentindo quando diz que é normal o contato regular e de tanta influência com representantes do Ministério Público (MP) no curso de um processo. Assista.

Um ato público será realizado no dia 19 de agosto na Faculdade de Direito da USP, no Largo do São Fra…

Em missão na Venezuela, ABJD inaugura a Coalizão Internacional de Juristas pela Paz e pela Democracia



No dia em que a Bolívia amanhece sob um violento golpe militar, a ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) inaugura a Coalizão Internacional de Juristas pela Paz e pela Democracia, que apoiará a mobilização jurídica transnacional em situações de extrema vulneração de direitos em diversas localidades. 

Iniciando os trabalhos a partir de hoje, 11/11, até o dia 15/11, a Associação realiza uma Missão na Venezuela com o objetivo de manter conversações in loco para compreender as complexidades sociais, políticas e econômicas do país. As informações farão parte de um relatório a ser apresentado à sociedade brasileira e organismos internacionais dedicados à apreciação do tema, como a ONU (Organização das Nações Unidas), a OEA (Organização dos Estados Americanos), entre outros.

“Em resposta às constantes ameaças internacionais e ao bloqueio econômico sofridos pela Venezuela, que vitimizam especialmente os cidadãos mais vulneráveis, a ABJD considera que a única alternativa para o restabelecimento da democracia plena no país é a paz e o diálogo, tendo como principais protagonistas as organizações da sociedade civil”, afirmam os integrantes da Secretaria Internacional da Associação, responsável pela iniciativa.

Durante a Missão Venezuela, os juristas irão se reunir com representantes de entidades civis que participarão de audiências com diversos seguimentos da sociedade venezuelana, o que inclui autoridades constituídas, parlamentares, movimentos populares, setores da imprensa e integrantes da indústria petroleira, para conhecer a realidade atual do país e discutir possibilidades de saídas pacíficas para a crise.

Esta edição conta com a presença dos seguintes membros da ABJD: o juiz do Trabalho de Pernambuco, Hugo Cavalcanti Melo Filho; o advogado e professor de Direito Internacional do Ceará, Marcelo Uchôa; a doutora em Direito e Conselheira Executiva do Comitê de Italianos no Exterior em Minas Gerais, Maria Rosária Barbato; e a professora de Relações Internacionais da UFRRJ e advogada do Centro de Atendimento a Refugiados e Migrantes, Charlotth Back.

Ao grupo, se somam o ex-comissionado da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, a teóloga Romi Bencke, o jornalista mexicano Carlos Fazio, e o professor de Direito argentino, Eduardo Tavani.

Relações Internacionais

A Secretaria de Relações Internacionais da ABJD foi instituída em julho de 2019, voltada ao desempenho das atribuições exteriores da entidade. A partir disso, foram deliberadas articulações imediatas para viabilização de três missões internacionais: Coalizão Internacional de Juristas pela Paz e pela Democracia – ABJD Missão Venezuela; Coalizão Internacional de Juristas pela Paz e pela Democracia – ABJD Missão Haiti; e Consejo Latinoamericano de Justicia y Democracia (CLAJUD).