Seminário Nacional e Internacional da ABJD

ABJD realiza Seminário para debater Sistema de Justiça e Democracia no Brasil e na América Latina

  Nos dias 3 e 4 de dezembro, a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) realiza o Seminário Nacional e Internacional para debater: “Sistema de justiça e democracia: compromisso ou descompasso?”. A transmissão será pelo Youtube: ABJDBR De acordo com os juristas, uma das principais discussões será sobre o uso do sistema de justiça com fins de desestabilização política, bloqueio à participação popular e prisões políticas. "São elementos repressivos e autoritários comuns nos processos de reivindicação por direitos no Chile, na Colômbia, na Bolívia, no Equador e no Peru, por exemplo", afirmam.  Além disso, a entidade avalia que nos últimos anos, o sistema de justiça tem protagonizado decisões importantes no que se refere à democracia no Brasil. "Isso nos coloca a necessidade de avaliar os próprios limites do ativismo judicial e da judicialização da política, quando está em jogo a participação social", ressalta.  Programação Dia 03/12/20 10h às 12:30h  Me

Com participação da ABJD, ato defenderá a Soberania Nacional e Popular em Brasília



A ABJD (Associação Brasileira de Juristas pela Democracia) é uma das entidades que estará no Ato e Seminário pela Soberania Nacional e Popular que acontece no dia 4 de setembro, na Câmara dos Deputados, em Brasília.


Impulsionado pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, o evento terá como objetivo unir organizações em caráter de urgência para debater o projeto de entrega, venda e privatização das riquezas que pertencem ao povo brasileiro, assim como a destruição de direitos historicamente conquistados, a exemplo da educação, da previdência, dos direitos trabalhistas e da saúde.

A ABJD se soma a todos os atores sociais que compreendem que o Brasil deve ser patrimônio dos brasileiros. “Não cabe a um governo, eleito para um mandato de quatro anos, desnacionalizar e desestruturar políticas e empresas públicas construídas ao longo de décadas por cidadãos e cidadãs brasileiras como vem acontecendo com a Amazônia, o Pré-Sal, a Base de Alcântara, a Petrobras, os Bancos Públicos, o SUS, a Educação Pública, a Ciência e a Tecnologia”, afirma a jurista da ABJD Marcelise Azevedo, que integra o grupo que elabora o Manifesto em Defesa da Soberania Nacional.

Para os dois dias estão previstos os debates Desenvolvimento Econômico e Soberania Nacional; Privatizações: Bancos, Correios, Previdência, Eletrobrás e Petrobrás; Ambiental: Amazônia, Biodiversidade, Mineração e Água; e Ciência Tecnologia e Educação.

O evento será no Auditório Nereu Ramos e é aberto a todos os interessados.

Confira abaixo a programação completa: